O Brasil que a gente não conhece | AMAZONAS

Olá povo do bem como é que cêis tão?

Você sabia que a Floresta Amazônia depende da África pra sobreviver?

a Floresta Amazônia depende da poeira do Deserto do Saara para manter o equilíbrio do ecossistema, a floresta é muito umida e necessita de uma forcinha extra para manter tudo isso funcionando perfeitamente. O estado brasileiro se chama Amazonas o que deriva o nome ao Rio Amazonas.

Dadas as introduções, bora prosear. Minha estadia no Amazonas durou 7 dias e foram incríveis, sendo 4 dias em Manaus e 3 dias em Presidente Figueiredo.

Meu voo saiu de Viracopos com conexão em Brasilia no dia 26/12/2018 às 9:30am, de lá meu destino à Manaus partiu às 11:55am. Cheguei em Manaus 13:05, voei com a companhia Latam pelo valor de R$769,57 pelo aplicativo Max Milhas. Eu consegui essa puta promoção porque fiquei de sentinela nos apps por vários meses, eu tive alguns problemas com a Latam, eles remanejaram meu voo varias vezes com isso perdi um dia no trabalho.

Em Manaus eu fiquei na casa de uma seguidora (SIM, tu acredita? Tipo um couchsurfing do Boa sorte Cami) Geovana é um amor e me recebeu de braços abertos lá em Manaus, então por isso não paguei acomodação. Mas já lhe aviso que vale a pena ficar em hostels espalhados pela cidade, meu roteiro em Manaus foi o seguinte.

  • DIA 1: cheguei na cidade no meio do dia e fomos visitar Ponte Negra. Ponte Negra é uma espécie de prainha para os manauaras formada pelo Rio Negro, é lindo e tem um por do sol incrível.

Ainda no primeiro dia nós fomos conhecer o mercadão/feira livre da cidade, Manaus tem varias dessas espalhadas, onde a gente encontra muita comida que São Paulo não tem. Experimentei pupunha, tacacá, cupuaçú, tucumã, açai (de verdade) entre outras comida bem típicas.

  • DIA 2: Eita que esse dia foi sensacional, foi dia de MUSA (Museu da Amazônia. MUSA é um museu/reserva que adentra a mata, é indescritível o prazer de estar lá e ouvir os sons que a floresta nos proporciona, ainda que dentro da cidade. No Musa há dois tipos de exploração: guiada ($40) e não guiada ($20). Eu obviamente peguei a não guiada e fui me aventurar nas trilhas da mata, elas são bem sinalizadas, se você não costuma fazer trilhas e quer saber sobre cada ponto do museu eu lhe aconselho a guiada, se sua intenção é somente ver a torre então dá pra encarar solo. Tem vários atrativos, como borboletário e alguns exposições, mas em geral o que enche os olhos é a vista da torre, mais alta que a copa das árvores a torre nos proporciona um sentimento que transborda nos olhos, depois de subir incontáveis degraus o ar puro tomou meus pulmões e se manifestou em lágrimas.

  • DIA 3: No terceiro dia da trip eu fui fazer um passeio de barco que custa R$130,00 o passeio tem saída do porto de Manaus às 8am e retorno às 17h com almoço incluso. Eu entrei em contato com o Marcelo que é o guia do passeio (caso voce tenha interesse posso disponibilizar o telefone dele, me manda um e-mail boasortecami@gmail.com). O passeio inclui:

O encontro das águas

O Lago das vitórias regias

Interação com os botos.

É importante ressaltar que a interação é fiscalizada pelo Ibama em um turismo ecofriendly, há uma serie de regras para que o visitante possa entrar na água, e definitivamente nós não nadamos com eles.

Visita à aldeia indigena

Há quem diga que os “índios” são falsos, na verdade essa aldeia indígena hoje ganha seu sustento com as atividades turísticas.

  • DIA 4 e 5: Eu e Geovana fomos viajar para Presidente Figueiredo. Figueiredo é uma cidade Amazonense à 2hrs de Manaus, nós pegamos um ônibus no valor de R$30,50 até a cidade, a viagem é bem tranquila. A cidade é beeem pequena e interiorana, mas encantadora pelas cachoeiras. Tem um hostel ótimo o Local Hostel que por sinal tem um filial em Manaus, nós ficamos em um quarto compartilhado $54 por pessoa/noite, passamos duas noites lá. Figueiredo é regionalmente conhecida pelos atrativos naturais, o ponto precário da cidade é o transporte, lá não há Uber, nem locadora de carros.

Eu e Ge fizemos muita coisa a pé, mas em cachoeiras mais longe nós contratamos o seu Macapá que é residente da cidade e faz esse passeio com a galera (podem me mandar e-mail pedindo o contato dele tambem), alguns lugares é necessário um guia turístico por ser trilhas mata adentro, e claro que eu me enfiei em uma delas, para isso nós entramos em contato com o Eduardo, guia da cidade.

Assim que voce chegar na cidade procure pelo CAT, Centro de Atendimento ao Turista, é uma sede de informações aos novos visitantes, a galera lá é bem bacana e fica fácil se informar.

O Amazonas é lindo, o povo brasileiro se orgulha do território, mas conhece a fundo o que o país tem a oferecer. Que vocês se sintam inspirados a visitar o nosso norte. Fica aqui esse post de uma paulista que amar viver.

Mulheres viajantes 

Com amor Cami 🌷

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.